Fotos de Eventos RealizadosRefletindo Acessar WebMail



O fim desta era é o Reino Indique para um amigo

O fim desta era

Cremos firmemente que nossos dias são os que beiram o fim desta era. Além disso, estamos cônscios de que, após esta era da Igreja, haverá a era do reino. Os olhos de Deus já se voltaram para o reino, o qual está crescentemente ganhando Sua atenção, pois, se nossa compreensão está correta, cremos fortemente que o que Deus está ansioso para trazer, de acordo com Sua vontade eterna, é o reino. O chamamento de Deus para a Igreja é por causa do reino.

Quando um servo do Senhor ganha a visão sobre o lugar que o reino tem na predestinada vontade de Deus, o quanto, então, ele passa a ansiar que o reino venha logo. Como ele espera que todos os filhos de Deus cooperem com o Senhor em apressar a chegada do reino. O versículo da Bíblia que é especialmente comovente ao coração desse servo é, sem dúvida, Mateus 24.14, o qual diz: "E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim."

Aqui podemos discernir a relação entre a pregação do evangelho do reino e a vinda do fim. Inquestionavelmente esse versículo é difícil de ser compreendido de maneira clara. Na verdade, no passado esse versículo se tornou um problema causando muita contenda entre os filhos de Deus. Nós não temos intenção de nos juntar à polêmica, pois não importa como uma pessoa possa interpretar essa passagem, isso não trará uma opinião unânime entre o povo de Deus. Desejamos simplesmente apresentar a luz que temos recebido nesse versículo.

"O fim do mundo (era, gr. lit.)" (v. 3) é uma frase que, naturalmente, aponta para o fim desta era. De acordo com uma interpretação rigorosa da profecia, essa frase refere-se à "hora da provação" (Ap 3.10 - VRA2), que também é compreendida como constituindo o curto período conhecido como "a grande tribulação", o qual irá concluir a era na qual agora vivemos. A nossa era é denominada de várias maneiras: a era do Espírito Santo, a era da Igreja, a dispensação da graça ou a dispensação do evangelho. Esta era, a qual leva todos esses diferentes títulos, terminará com a vinda de "o fim" ou a grande tribulação.

Ora, precisamos compreender claramente que a Igreja é responsável por trabalhar com Deus para que o reino seja trazido, como Mateus 24.14 confirma. E, ao entender que o reino de Deus só pode aparecer publicamente após o final desta era, a Igreja não pode fazer outra coisa a não ser estar interessada no fim. Pois, embora o final dessa era não tenha nenhuma relação com a Igreja em si, ela tem muito a ver com a obra da Igreja.

Por essa razão, o Senhor Jesus nos diz em Mateus 24.14 que o evangelho do reino deve primeiro ser pregado e, então, o reino dos céus virá. Aqui nosso Senhor profetiza com respeito ao fenômeno que deve acontecer ao aproximar-se o fim dessa era e a chegada em breve do reino dos céus. Ele, além disso, estabelece a condição para o surgimento da conclusão desta era e a introdução do reino. Por conseguinte, a partir desse versículo em Mateus vemos que, para que esta era seja concluída, os filhos de Deus devem dar testemunho do evangelho do reino de maneira nova. Ao tempo do fim dessa era, nós verdadeiramente testemunharemos um reavivamento do evangelho do reino.

Durante as últimas décadas parece ter havido uma restauração gradual do ensinamento sobre o reino. Especialmente nos poucos anos passados, o Senhor tem voltado os olhos dos Seus filhos na China mais na direção desse assunto do reino de Deus. Isso é, de fato, um sinal muito saudável.


O que é o reino de Deus?

Mas o que é o reino de Deus? O que é o evangelho do reino dos céus? O que é normalmente entendido é que o reino é a era quando Cristo e a Igreja irão reinar. Na verdade, ele é muito mais que isso.

Muitos tentam diferençar entre o evangelho do reino e o evangelho da graça. Isso realmente não é necessário. Se há quem insista em distingui-los, podemos dizer que o evangelho da graça lida principalmente com bênção, enquanto o evangelho do reino é especialmente dirigido contra a opressão demoníaca de Satanás.

Hoje em dia, existem muitos conceitos acerca do reino, mas ouçamos o que o Senhor Jesus tem a dizer: "Se Eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus" (Mt 12.28). Sem dúvida o reino significa muitas coisas, mas o que o Senhor menciona aqui deve ser considerado do mais importante significado.

O reino está em direta oposição ao Hades. O Senhor Jesus declara que o reino é a expulsão de demônios - isso quer dizer que, pela poder do Espírito de Deus, se dá a expulsão de demônios. Essa é uma explicação acurada do reino. Existe uma lacuna básica encontrada nos comentários da Bíblia de hoje, pois neles os autores usualmente se esquecem do Hades. A Igreja em sua posição, obra, pensamento e falar têm geralmente esquecido seu inimigo, Satanás. Não sabemos que Deus escolheu a Igreja para resistir a Satanás e para introduzir o Seu reino? Portanto, prestemos atenção que exatamente na primeira vez que o Novo Testamento menciona a Igreja ele também menciona o Hades (veja Mt 16, onde Hades é traduzido para inferno).

Todos sabemos que a duração da era do reino é de mil anos. Mas qual é a relação entre esses mil anos e Satanás? Nos versículos de abertura de Apocalipse 20 é nos dito que esse será o tempo em que Satanás será preso no abismo. Essa será a época mais vergonhosa para ele.

"Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos?" (1Co 6.3). Ora, somente aqueles que têm pecado precisam ser julgados; portanto, vemos a partir desse versículo que o futuro para a Igreja incluirá o julgamento dos anjos pecaminosos. Esses anjos pecaminosos rebelaram-se juntamente com Satanás contra Deus. Eles são os principados e potestades de hoje (cf. Ef 6.12; Cl 2.15) e os príncipes mencionados em Daniel 10.13, 20. E Deus diz que nós os julgaremos. Mas quando? Na época em que Cristo vier novamente para estabelecer Seu reino.

Isto, então, é o reino: o tempo em que Satanás será lançado no abismo. Esse é o tempo em que todos os principados e potestades serão julgados. Oh, os poderes do Hades serão destruídos na era do reino! E a besta, como um filho para Satanás, e o espírito que está no falso profeta serão lançados para dentro do lago de fogo. Além disso, outros incontáveis espíritos maus serão expulsos do mundo e aprisionados.

O próprio Satanás será exposto à vergonha abertamente e passará mil anos de vida nas trevas no abismo. Esse é o tempo quando ele e toda a sua família do mal serão completamente derrotados e destruídos. Durante esse mesmo período, os filhos de Deus se manifestarão e a batalha da cruz de Cristo alcançará completa vitória. Esse é o tempo no qual o propósito de Deus, proposto desde as eras contra Satanás, encontra seu completo cumprimento. E o que está profetizado em Isaias 14.12-20, que é uma referência velada a Satanás, será, então, totalmente realizado. Na era do reino Satanás não terá influência nenhuma.

Conseqüentemente, a pregação do evangelho do reino dos céus é nada menos do que declarar que Deus, que reina nos céus hoje, amanhã reinará sobre a terra expulsando completamente o príncipe do mundo atual com todos os seus seguidores e maus espíritos para que, então, o novo homem (Cristo e Sua Igreja) reine.


Desfazendo as obras do diabo

O Evangelho do reino dos céus é, por conseguinte, direcionado contra os poderes das trevas. Portanto, quando o Senhor Jesus primeiro proclamou este evangelho, todas as Suas obras trataram com os poderes das trevas: "Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo" (1Jo 3.8).

Ele tanto curou o doente como expeliu demônios. Agora está inteiramente claro para nós que expulsar demônios é um trabalho que destrói o reino das trevas. Mas quanto à cura de enfermos? O apóstolo Pedro nos proveu uma explicação quando, ao descrever o ministério terreno de Jesus, ele observou que nosso Senhor andou por toda parte "curando a todos os oprimidos do diabo" (At 10.38b). Se lermos os Evangelhos cuidadosamente, observaremos que a vida terrena inteira do nosso Senhor Jesus foi dedicada a destruir a obra do diabo. Conseqüentemente, Sua obra na terra teve um efeito muito maior sobre os demônios do que nos homens.

Ora, o Senhor Jesus nos diz que no final desta era os Seus filhos se levantarão para dar um testemunho semelhante. Precisamos agradecer ao Senhor pelo fato de que, em anos bem recentes, não poucos dentre os filhos de Deus têm sido levantados para guerrearem contra Satanás. Guerras espirituais na vida de muitos crentes têm-se tornado uma realidade, não permanecendo meramente como uma questão de terminologia.

Para que o reino de Deus venha, para que a soberania de Deus se manifeste no mundo e para Satanás e seus poderes serem expulsos, devemos nos levantar e dar testemunho concernente ao evangelho do reino dos céus. Em outras palavras, nós devíamos testificar da vitória da cruz de Cristo. Nós devíamos declarar que Cristo já julgou o príncipe deste mundo, que Ele ganhou uma vitória total e que o reino, a glória e o poder agora são inteiramente Dele. Pois Satanás não tem lugar nessa era; ele está meramente usurpando este tempo. Todos os que receberam o Senhor Jesus foram libertados dos poderes das trevas e foram transferidos para o reino do Filho do amor de Deus. (Cl 1.13).


Expulsando Satanás

Nós devemos proclamar o evangelho do reino dos céus - o qual é o evangelho da expulsão de demônios, o evangelho do anúncio da derrota de Satanás e da destruição do Hades. E esse testemunho trará o fim desta era.

Reconhecidamente, esta era é a era da Igreja, pois a Igreja teve começo nesta era. Ao mesmo tempo, entretanto, estejamos conscientes que a Bíblia igualmente chama esta era de "geração má e adúltera" (Mt 12.39), "geração incrédula e perversa" (17.17) e "geração corrompida e perversa" (Fp 2.15). O propósito de Deus é levar tal era e geração a um fim. Ele está contente ao ver que o fim dessa era logo chegará a fim de Seu reino seja introduzido. Mas os filhos de Deus têm seu dever a cumprir. Eles deviam trabalhar juntamente com Deus para trazer a essa era o fim. A oração é um dos caminhos, mas testemunho é também requerido. Levantemo-nos todos em prol da "majestade" do Senhor Jesus como nunca antes. Vamos testificar do Seu governo mais do que nunca. Embora o reino do anticristo deva preceder o reino de Cristo, não obstante devemos testificar do reino de Cristo antes da vinda do reino do anticristo. Nós precisamos trazer a esta era o seu fim.

Naturalmente isso não é um novo evangelho; é apenas aquele aspecto do único evangelho que tem sido, por tanto tempo, negligenciado pela igreja. Todos os apóstolos também proclamaram esse aspecto do evangelho. Tanto Atos 14.22 como 28.23 dão testemunho desse fato: "Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus (...) E, havendo-lhe eles assinalado um dia, muitos foram ter com ele à pousada, aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé em Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas, desde a manhã até à tarde". Além do mais, após a ressurreição, o Senhor Jesus mesmo falou aos Seus discípulos as coisas concernentes ao reino de Deus (1.3).

Se quisermos continuar o trabalho dos apóstolos, precisamos testificar do que eles testificaram. Quão grandemente a Igreja tem esquecido a vitória, a autoridade e o trono de Cristo. Quem quer que ouse testificar que "somente Cristo é Rei, Satanás, não" está realmente pregando o evangelho do reino dos céus.

Não sejamos pessoas atrasadas no tempo. Hoje só há um evangelho que é relevante para o nosso tempo: o evangelho do reino de Cristo. Com isso não estamos sugerindo que não deveríamos pregar nada mais; apenas desejamos sublinhar o fato de que Deus deseja que nós prestemos atenção especial a esse aspecto do evangelho. Precisamos nos levantar e afirmar o que Deus determinou para esta era. No final desta era, Ele está interessado na vitória de Seu filho e no exílio de Satanás. Se não formos de uma mente com Deus nesse assunto, ou seja, se não prestarmos atenção no que Ele está interessado agora, não cumpriremos Sua eterna vontade, não importando que grande obra possamos realizar. Quão distantes nós estamos do melhor de Deus se esse for o caso.


Trazer o Reino de Deus

A necessidade de hoje é para os cristãos que conhecem o tempo. Deus está procurando por um povo que simpatize com Ele e trabalhe com Ele em concluir esta era e introduzir a próxima.

Se os cristãos virem como sua maior responsabilidade na terra a salvação das pessoas, então, eles falharam em cumprir a mais alta vontade de Deus. Eles deviam reconhecer que têm uma responsabilidade ainda maior do que a salvação de almas: eles têm de levar esta era a um fim e trazer o reino de Deus.

Sua mais alta responsabilidade é testemunhar a destruição do arquiinimigo de Deus, Satanás e todos os seus poderes das trevas. Eles deviam ver isso como o principal objetivo de todas as suas obras.

A oração não é apenas para orar, mas para ferir satanás. Salvar almas não é meramente salvar as pessoas, mas causar dano a Satanás nesse processo. Por favor, não me interprete mal aqui. Não rebaixamos a obra de evangelismo, pois a salvação de homens e mulheres é a mais gloriosa tarefa a qual nunca deveríamos dispensar; mas na obra de salvar almas não percamos o reino de vista. Nós nos tornaremos obreiros mais efetivos nas mãos do Senhor se sempre tivermos em vista o reino de Deus e as coisas concernentes ao determinado conselho de Deus e o destino estabelecido para o inimigo de Deus.

Por que será que após os filhos de Deus testificarem do reino dos céus o fim deve chegar? Aqui podemos perceber novamente o trabalhar de Deus junto com os homens. Deus deseja que o fim chegue. Mas se os Seus filhos falharem em trabalhar com Ele em oposição a esta era e em desejar que o Seu reino venha, Ele adiará a chegada do reino. Mas quando os filhos de Deus realmente abominarem os fenômenos repugnantes do desfecho desta era e orarem por sua morte rápida bem como orarem pelo reino, Ele se levantará e agirá. Quando quer que os filhos de Deus se levantem para sustentarem o testemunho do reino dos céus - o que significa que eles querem o que Ele quer e odeiam o que Ele odeia naquele momento - a vontade deles é unida à vontade de Deus. E isso possibilita ao Senhor levantar-se e agir.

Nunca assumamos que o fim vem automaticamente. Não, se não desejarmos a vontade de Deus, Sua vontade será retardada. Portanto, Deus está esperando pacientemente hoje, buscando por aqueles que são de uma mente com Ele e estão dispostos a trabalhar com Ele para trazer o fim desta era. Quem entre nós está disposto a realizar esta grande obra? Quem entre nós está disposto a pagar o preço?


(Este texto é o sexto capítulo do livro "Espírito de Sabedoria e Revelação", de Watchman Nee, publicado pela Editora dos Clássicos, em julho de 2003. Vedado o uso comercial. Favor não divulgar sem mencionar a fonte.)

 

 

Voltar

Rua Artur Machado 935, Boa Vista - Uberaba-MG